Ligue-se a nós

Famosos

Teresa Paula Marques: “Nunca me arrependi de ter sido a SuperNanny portuguesa”

Dois anos depois, Teresa Paula Marques pronuncia-se sobre a Supernanny. A psicóloga diz não estar arrependida do desafio.

Rufino Teixeira

Publicado

no

Depois da polémica “Supernanny”, Teresa Paula Marques regressou à televisão para comentar o programa “Big Brother”. Recorde-se que em 2018, a psicóloga encarnava numa ama que ajudava as famílias a liderem com crianças problemáticas. “De modo algum me arrependo de ter feito o programa. O projeto foi-me apresentado. Nunca me arrependi de ter sido a SuperNanny portuguesa, muito pelo contrário“, explica à TV7 Dias.

Dois anos depois, o Tribunal deu a razão ao Ministério Público, e o programa que foi um sucesso, acabou suspenso. “Sinto me orgulhosa por ter sido escolhida para esse papel”, garante a psicóloga clínica. “Também mantenho contacto com as famílias dos dois programas que foram exibidos e o que mais me deixa feliz é sentir que ajudei estas famílias a serem mais felizes. Portanto, não encontro motivos para me arrepender.

Já sobre o impacto do programa na sociedade, Teresa deixa uma reflexão: “Existem programas que resultam nuns países e noutros não. Só posso dizer que o programa continua a ser exibido em 15 países e apenas em Portugal foram impostas regras que tornavam o programa completamente inviável”, esclarece, lamentando a decisão. “Uma das coisas que aconteceram foi confundirem a personagem com a pessoa. A SuperNanny é uma personagem que, em Portugal, foi eu que encarnei. Apenas isso. Acho que assiste o direito de não gostarem do programa, mas custa-me aceitar que tanto ódio tenha sido canalizado para mim, enquanto apresentadora do programa. No entanto, posso dizer-lhe que foi uma aprendizagem que me permitiu sentir o apoio dos amigos, dos colegas e de muitos anónimos que me enviavam e-mails muito simpáticos, além de descobrir que possuo bastante capacidade de resiliência”, nota.

Veja também:   Herman José reage à contratação de Paulo Rocha

Agora, em 2020, a psicóloga clínica foi convidada para analisar o comportamento dos concorrentes do “Big Brother“, depois de um ano afastada da televisão. “Durante esse período, recebi alguns convites para estar presente em programas de televisão, mas recusei-os sempre. Continuei as minhas atividades como psicóloga, professora e autora, até que a produção do Big Brother me endereçou este convite. Fiquei entusiasmada porque é algo muito diferente de tudo o que fiz até agora. Fui muito bem recebida pela equipa, sou muito acarinhada por todos e sinto-me muito feliz por estar neste projeto“, diz à TV 7 Dias.

23 anos. Estudante de Geografia na FLUP. Um apaixonado pela cultura, comunicação, pelo território e pela sociedade. Um defensor do equilíbrio "homem-terra", daí defender teorias de conservação e gestão da natureza. Está no MAISTV como fundador e administrador geral.

Anúncio
💬 COMENTÁRIOS | CLIQUE AQUI PARA VER E COMENTAR

Facebook

Anúncio

Mais vistas