Ligue-se a nós

Famosos

Teresa Guilherme é acusada de ter escravizado o seu ex-funcionário

Rufino Teixeira

Publicado

no

Depois de ter sido descartada da apresentação do programa ‘Casa dos Segredos‘, Teresa Guilherme vive dias bem difíceis. Segundo a edição desta semana da revista TV Guia, a estrela da TVI, viveu momentos bem tristes esta semana em tribunal.

Pedro Alves, de 36 anos, terá trabalhado para Teresa Guilherme nos últimos 11 anos, no entanto, foi, igualmente, despedido sem prévio aviso. O seu objetivo é “ter direito a todos os subsídios que nunca me pagaram, as férias que nunca gozei e os danos morais que tudo isto me causou”, explica em exclusivo à revista TV Guia. A hipotética indemnização ronda os 44 mil euros.

Um motorista que acumulava funções

Aos 25 anos, Pedro Alves, terá conhecido a apresentadora e começou a trabalhar como seu motorista pessoal. “Primeiramente, a Teresa escolheu-me como motorista, depois comecei também a fazer de estafeta para a Teresa Guilherme S.A”. No entanto, a sua situação profissional foi-se alterando nos últimos anos. “Ao fim de dois anos, comecei a tomar conta das coisas pessoais dela. Fazia-lhe o pequeno-almoço, tomava conta de tudo o que era dela. Tínhamos uma relação de respeito, que se foi mantendo (…)”, esclarece.

Em 2016, Pedro, farto de tantas responsabilidades: “motorista, tratador de animais, psicólogo”, contabilista (“comecei a tomar conta da contabilidade da D. Teresa“), decidiu começar a fazer 40H semanais. “Ao longo deste tempo todo nunca tive um contrato de trabalho. Nos primeiros anos ainda estive a recibos veres, mas ela nunca me admitiu como empregado”, diz, assumindo que era, na ótica de Teresa, “impensável” ter direito a “subsídios de férias e e Natal“, por exemplo.

Veja também:   Rui Unas de volta à ficção com trabalho "épico"

Nesta sequência, Pedro foi despedido no dia 30 de maio de 2017, com um e-mail a “dizer que prescindia de todos os meus serviços”.

A revolta e o início do processo

Insatisfeito com o trato recebido, Pedro, decidiu recorrer a um advogado para perceber os direitos a que tinha acesso. Contactada pela revista do Grupo Cofina, a apresentadora desvaloriza a situação. “Não estou a ser julgada por nada. Num tribunal de trabalho resolvem-se litígios entre empregados e empregadores. Só isso!”.

O queixoso, agora de 36 anos, deixa uma nota sobre Teresa. “Ninguém que trabalhe para ela é bem tratado! O regime ali é de escravidão. A Teresa Guilherme escraviza as pessoas. Não há horários, não há feriados e a resposta é sempre a mesma: ‘Vocês trabalham para uma pessoa que trabalha na televisão, não trabalham para a Função Pública’. O fascínio de quem realmente a conhece desvanece-se muito rapidamente.”

A sessão do dia 31 de janeiro reuniu testemunhas, depoimentos de Teresa Guilherme e de Pedro Alves. Uma nova audiência ficou marcada para breve.

23 anos. Estudante de Geografia na FLUP. Um apaixonado pela cultura, comunicação, pelo território e pela sociedade. Um defensor do equilíbrio "homem-terra", daí defender teorias de conservação e gestão da natureza. Está no MAISTV como fundador e administrador geral.

Anúncio
💬 COMENTÁRIOS | CLIQUE AQUI PARA VER E COMENTAR

Mais vistas