Ligue-se a nós

Entrevistas

Leonor Poeiras conta tudo sobre despedimento da TVI

Quase duas décadas depois, a profissional abandona amargamente a estação de Queluz de Baixo.

Cátia Ferreira

Publicado

no

Conforme o Mais Televisão noticiou, Leonor Poeiras, após 17 anos de trabalho com a TVI, foi dispensada pela direção e aconselhada pela mesma a procurar trabalho noutro sítio. Pode reler, aqui. A apresentadora deu uma entrevista extensa à revista TV Mais, onde falou abertamente sobre todas as polémicas dos últimos dias.

“A Tarde é Sua”

Desta vez, Leonor não aceitou substituir Fátima Lopes durante o período de férias. A apresentadora explica: “Este ano não aceitei substituir a Fátima durante estas férias de verão por causa de uma série de conversas e desenvolvimentos dentro da estação. No fundo, depois de ter sido excluída do programa “Cabelo Pantene — O Sonho”, fiquei numa situação muito desconfortável, sem perceber o porquê. E desde então só tenho sido chamada para substituir a Fátima Lopes”.

“Cabelo Pantene – O Sonho”

Leonor afirma que soube pelas redes sociais que tinha sido dispensada do programa algo que nunca aconteceu em 17 anos. “Esta falta de consideração, e falo de mim enquanto profissional da casa, aliás, o único sítio onde trabalhei na vida. Fiquei muito triste e desconfortável. Na altura, o próprio Nuno Santos me disse que eu era uma cara do canal e que teria programas para a frente, que contava comigo para a tal mudança, mas isso não veio a verificar-se, portanto, este mal-estar manteve-se. Ele, enquanto líder, disse-me que me tinha retirado do programa por decisão pessoal. Foi estranho, porque mantenho ótima relação com todos e com a marca, portanto, foi constrangedora esta falta de consideração por parte da TVI. E o que aconteceu é que não há nenhum programa para mim e, ainda assim, há muitos que se têm estreado”

“Somos Portugal”

Leonor explica porque não pôde continuar a apresentar o programa “Somos Portugal”: “Em 2016, sofri um episódio de surdez súbita, que, no meu caso, é irreversível. No meu ouvido direito, onde uso o auricular, perdi 50 decibéis e nenhum tratamento deu resultado. Desde então, informei a TVI que não me podia manter em “Somos Portugal” porque essa exposição ao ruído ia fazer com que esta perca de audição evoluísse. Cheguei ao fim de 2019 pior, a situação agravou-se”. Acrescenta ainda que isto não a impede de trabalhar, simplesmente não pode estar num ambiente de grande exposição ao ruído.

Direção da TVI

Leonor revela a conversa que o Nuno Santos teve com ela: “A partir do momento em que me tirara o programa da “Pantene”, e que eu sei disso através das redes sociais, cresce em mim um sentimento que nunca tinha experienciado. Passei a ser completamente ignorada e sofro. E a partir do momento em que, no final de maio, o Nuno Santos me diz “és livre para procurar trabalho noutro sítio”, é óbvio que não posso ficar refém da TVI, sentada, à espera de que o telefone toque para substituir a Fátima Lopes. Nunca ouvi isto antes. A TVI sempre me tratou com o maior respeito, consideração e profissionalismo. Fiquei revoltada e chocada”.

Leonor afirma que não se identifica com a atual Direção de Programas, com as escolhas, com a maneira de trabalhar e vais mais longe: “Não têm coragem, não têm tempo para me informarem sobre o meu presente e futuro no canal? Aliás, esta foi uma decisão pessoal do Nono Santos [a exclusão da segunda temporada de “Cabelo Pantene — o Sonho”]. Ele próprio é que me disse isso. É que podia ser uma questão de orçamento… Ainda fiquei mais triste ainda, foi porque ele quis”.

“Quem Quer Casar Com o Meu Filho”

Leonor está convicta de que este foi um presente envenenado: “’Quem Quer Casar com o Meu Filho?’ foi uma rasteira que me pregaram. Para se ter uma noção, fui chamada de véspera para esse programa. Estava entregue a outra pessoa e, à última hora, essa pessoa não o quis fazer, percebeu os riscos que corria. Claro que isto não me foi contado. Soube a posteriori. O que dizer? Não me orgulho. E defendi-o, ou seja, estive sempre, até ao fim, do lado da estação a defender o indefensável. E sofremos tantas críticas.

SIC e RTP

Há uns anos, Leonor chegou a ir a SIC ao programa “Vale Tudo”. Leonor afirma que foi castigada: “Fui como mera convidada, estava numa fase sem nada para gravar e como não pedi autorização fui castigada. Esse tempo sem trabalho foi prolongado. Fui ao “5 para a Meia-Noite” duas vezes e pedi autorização, que me foi dada. É assim, há um código de cavalheiros, havia, pelo menos”.

Futuro

Leonor Poeiras está visivelmente revoltada mas esperançosa de que as suas ideias e o seu passado lhe tragam frutos num futuro próximo: “Claro que preciso de ter trabalho. De facto, muitas conversas foram tidas com a TVI nos últimos meses, com advogados, inclusivamente. Segui todas as instruções e posso dizer-lhe que este tema não fica por aqui. Senti-me injustiçada, estou privada de exercer a minha profissão na plataforma em que sempre fiz. Convenhamos, agora, por mais que esteja no mercado, tenho aqui um carimbo TVI em todo o lado. Sou uma pessoa supercriativa e sempre fui. Tenho 500 mil ideias. Inclusivamente, estava a negociar uma dessas ideias com o Sérgio Figueiredo, que acabou de sair da TVI, portanto, vou desenvolver, sozinha certamente, sem qualquer problema e com toda a liberdade. Aquilo que sou enquanto comunicadora está vista. Foram 17 anos. É metade da minha vida”

Fonte: TV Mais

Anúncio
💬 COMENTÁRIOS | CLIQUE AQUI PARA VER E COMENTAR

Facebook

Anúncio

Mais vistas