Ligue-se a nós

Pessoas

João Catarré sobre a SIC: “Foi uma mudança muito boa e estou a ser muito bem tratado.”

Rufino Teixeira

Publicado

no

João Catarré deixou a TVI e embarcou numa nova aventura na SIC, ao protagonizar ‘Terra Brava’. Este novo desafio “tem sido maravilhoso. Todos os dias são uma surpresa e consoante vou lendo a história, vou ficando cada vez mais deslumbrado para saber o que vem a seguir. O Diogo camufla-se com muita facilidade e sabe perfeitamente quem é que tem à frente e o que pode dizer ou não a essa pessoa. Portanto, só aí a quantidade de informação que ele absorve, por todas as conversas que ouve e das situações que vê são por ele muito bem geridas. E, nesse sentido, a minha gestão para o fazer também é de algum modo complexa porque tenho de estar sempre atento a tudo. Não posso vacilar em frente de nenhuma personagem, para não mostrar nada e não perceberem que este rapaz está a mentir, ou melhor, a camuflar-se. Está a ser muito trabalhoso, mas por outro lado está a ser maravilhoso. Acho que está a ser o projeto que mais trabalho e prazer me está a dar“, considera o ator à revista SEXTA.

Na novela, Carlos, interpretado por Fernando Luís, avisou Diogo de que Beatriz seria sua irmã. No entanto, mais tarde, vem a descobrir-se que os dois não tem qualquer relação de parentesco. “É uma mentira de vida e, principalmente, pela pessoa que o educou, que o formou e que lhe deu os valores que os pais não lhe puderam continuar a dar por ausência. A relação com o Carlos e com o Diogo nessa altura é de rutura total. É de desilusão autêntica e a maior que pode haver. Um pai que mente ao filho descaradamente e que põe em causa o grande amor da vida desse filho.

Veja também:   Maria Botelho Moniz admite que aceitou integrar a mudança da TVI pela grandiosidade do desafio

Com o final do ano, Catarré tem um desejo para 2020: “Para a minha família desejo muita saúde e muito amor como tem sido até agora. Que a ‘Terra Brava’ continue a ser uma novela diferente e muito boa e bem construída. E bem feita que dá gosto de fazer“, sintetiza, fazendo um balanço positivo de 2019. “Sou apologista de que as mudanças por norma são boas e foi o caso. Foi uma mudança muito boa e estou a ser muito bem tratado. Estou a adorar as pessoas com quem estou a trabalhar. Há algumas que já conhecia mas outras não. Mas foi um ano de mudança para muito melhor. Consoante o tempo que vai passando somos mais assertivos nas escolhas e espero que seja assim.

23 anos. Estudante de Geografia na FLUP. Um apaixonado pela cultura, comunicação, pelo território e pela sociedade. Um defensor do equilíbrio "homem-terra", daí defender teorias de conservação e gestão da natureza. Está no MAISTV como fundador e administrador geral.

Anúncio
💬 COMENTÁRIOS | CLIQUE AQUI PARA VER E COMENTAR

Mais vistas