Dezembro. Mês do Natal, mas nem isso fez a TVI ocultar duas investigações importantes realizadas durante algum tempo. A associação Raríssimas e a IURD foram os alvos da estação, que apresentou algumas irregularidades desses grupos. Os casos, polémicos, levaram a uma manifestação entre os portugueses. Deste modo, a TVI decidiu reforçar a segurança.

Com medo de represálias, principalmente, sobre as jornalistas, a estação decidiu contratar seguranças privados. “Tomámos alguns cuidados por precaução. Há uma reação do outro lado, o que é natural. Há uma reação pública e outra que o público não conhece. Não temos tido dias fáceis nem tranquilos, mas não há até ao momento nenhuma ameaça física, nem ninguém que até hoje se tenha sentido em perigo. Há as ameaças várias, jurídicas e de coação a nós e às pessoas que tiveram a coragem de falar connosco, e há a tentativa de descobrir a identidade de uma série de pessoas que nós protegemos e que não identificamos. Mas faz parte”, adiantou, Sérgio Figueiredo, à revista TV 7 Dias.

Sérgio Figueiredo, o responsável pela ‘Informação’ da TVI. 

Consultando a supracitada revista, entende-se que as jornalistas Alexandra Borges, Ana Leal e Judite França estarão a ser acompanhadas por seguranças contratados pela própria estação. “Tomámos precauções… Foi mesmo só por precaução, não foi em resultado de nada. É normal, não acontece só neste caso, acontece noutros casos também, mas quero acreditar que não são pessoas perigosas, se fossem perigosas estariam presas“, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here