Ligue-se a nós

Extra

Cristina Ferreira pode ver a compra de ações suspensa

A Entidade Reguladora para a Comunicação (ERC) acredita que existem “fortes indícios de ocorrência de uma alteração não autorizada de domínio nos operadores que compõem”.

Avatar

Publicado

no

Cristina Ferreira

Embora Cristina Ferreira tenha formalizado a sua intenção de compra de 2,5% da Media Capital com um contrato de promessa, anunciado pela CMVM a 4 de setembro, a verdade é que o negócio pode não ser formalizado. Esta situação aplica-se também a Pedro Abrunhosa e Tony Carreira, bem como a Lourenço Ortigão.

No motivo desta dúvida está, segundo avança a TV Mais, o facto deste negócio estar “sujeito a determinadas condições suspesivas, da verificação dos quais depende a realização da transação”, lê-se no contrato.

ERC abre processo de contraordenação contra Mário Ferreira e Prisa

Atualmente, a venda da Prisa a outros acionistas, incluindo à Pluris, detida por Mário Ferreira, está sob processo. A Entidade Reguladora para a Comunicação (ERC) iniciou um processo de contraordenação contra o empresário nortenho e os espanhóis da Prisa pela intenção de compra de 30,22% a 10 de abril. Na base desta decisão está a “existência de fortes indícios de ocorrência de uma alteração não autorizada de domínio nos operadores que compõem” a Media Capital, o que inclui a TVI e a Rádio Comercial.

Caso seja comprovada esta alteração, os envolvidos arriscam uma coima que pode ir de 75 mil a 375 mil euros, bem como a suspensão da licença pelo período de dez dias. Além disso, “a alteração do domínio sem a necessária autorização da ERC, prevista em lei com caráter imperativa, envolve a nulidade do negócio”, expõe o regulador na sua deliberação.

Veja também:   "Listen" candidato aos Óscares

CMVM manifesta-se

“A CMVM conclui preliminarmente, em face dos elementos e fundamentação disponibilizados pelo requerente e das diligências realização pela CMVM (incluindo a audição e a solicitação de documentação a diversas pessoas e entidades com ligações à Media Capital), que os acordos celebrados entre a Vertix/Prisa e a Pluris/Mário Ferreira e a conduta das partes instituída na sequência dos mesmos configura o exercício concertado de influência sobre a Media Capital, manifestado, entre outros, na (re)composição do seu órgão de administração, na redefinição do plano estratégico da sociedade e na tomada de decisões relevantes na condução dos seus negócios”, pode-se ler.

Caso haja uma OPA (Oferta Pública de Aquisição) às posições minoritárias, o grupo Cofina poderá ser um concorrente de Mário Ferreira. Todos estes acontecimentos põem, novamente, a venda da Media Capital em causa.

O que muda na vida de Cristina Ferreira?

No caso da apresentadora não poder ser acionista, a sua posição de poder pode ser alterada. No entanto, em termos contratuais nada muda e manterá, certamente, o seu cargo e as responsabilidades que lhe foram entregues neste regresso à TVI.

Fonte: TV Mais

22 anos. De alma portuguesa e de sotaque portuense, ainda que pouco acentuado. Adoro a minha cidade, o Porto, e a minha pátria, Portugal, ainda que não esteja de acordo com algumas ideias pré-definidas da mesma. Entre as minhas qualidades destacam-se a persistência, a força de vontade, o empenho e a vontade de trabalhar e inovar. Autodidata no que diz respeito à blogosfera e tecnologias, ambiciono aperfeiçoar cada vez mais o meu trabalho.

Anúncio
💬 COMENTÁRIOS | CLIQUE AQUI PARA VER E COMENTAR

Facebook

Anúncio

Mais vistas