Angelus TV - Facebook do canal

“Muitos empresários não querem associar o seu produto a um canal católico […] Esquecem-se que o católico também come, compra casa e tem as mesmas necessidades que qualquer pessoa” – Sandra Dias, diretora Angelus TV

Através do Facebook e através da agência Lusa o canal com sede em Fábrica explicou que as emissões podem terminar no próximo dia 15 de abril se não houver financiamento. A diretora do canal, Sandra Dias, explicou que o projeto iniciado em maio de 2017 sempre foi financiado principalmente através de receitas publicitárias, contudo a diretora refere “barreiras” por ser um canal católico. “Muitos empresários não querem associar o seu produto a um canal católico, com receio de estarem a limitar os clientes. Esquecem-se que o católico também come, compra casa e tem as mesmas necessidades que qualquer pessoa”, afirmou Sandra Dias.

“Este é um canal generalista! A nossa programação procura ser diversificada e destina-se desde as crianças […] aos mais velhos, passando pelos jovens […] os nossos principais telespectadores têm entre 25 e 65 anos”- Sandra Dias, diretora Angelus TV

“Este é um canal generalista! A nossa programação procura ser diversificada e destina-se desde as crianças – com os desenhos animados – aos mais velhos, passando pelos jovens. Curiosamente, os nossos principais telespectadores têm entre 25 e 65 anos, logo são pessoas ativas, na sua maioria mulheres”, informou Sandra Dias.

A diretora afirmou à Agência Lusa que tentou pediu auxilio às paróquias portuguesas e a maioria das respostas foi inexistente ou negativa, quer para o financiamento, quer para a divulgação do canal.

Apesar dessas “portas” fechadas, o canal recebeu pontualmente apoios da Igreja Católica. Neste momento os funcionários têm salários em atraso desde o passado mês de novembro. A Angelus TV precisa, segundo a diretora, de pelo menos 30 mil euros por mês para funcionar, mas “o ideal seriam os 50 mil euros”.

A solução passa parcialmente por encontrar padrinhos e madrinhas que contribuam com que poderem. “Se três mil pessoas derem dez euros vamos conseguir manter o canal e fazê-lo crescer. Ser padrinho ou madrinha é isso mesmo: ajudar o afilhado a caminhar no seu crescimento cristão”, afirmou Sandra Dias.

Segundo a diretora, o canal é acompanhado diariamente por 50 mil pessoas, sendo o “prime time” do canal entre as 18h30 e as 20h30 e às 21h30 e às 22h30, “quando é transmitido o terço”.

Na publicação surge a indicação de que quem quiser ajudar, pode obter mais informações através dos números 249.000.400/1/2/3 ou através do Facebook do canal.

O canal está disponível nos operadores MEO (canais 187 e 188), NOS (canal 187) e Vodafone (canal 183).

Veja a publicação integral:

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here