Primeiro Sendo” é o primeiro romance do diretor de programas da CMTV, Francisco Penim. “É um romance sobre um primeiro amor. São dois miúdos que vivem na mesma terra, que é Vila Franca de Xira, mas na verdade é como se vivessem em mundos diferentes. Ela é filha de uma família rica e ele é filho do Araújo do café. Ela estuda em Lisboa, ele em Vila Franca de Xira. Ela tem a sua vida pré-delineada pelo pai e pela mãe, pelas expectativas da família, pelo que é bem. Ele é um miúdo que sabe que vai ficar em Vila Franca para todo o sempre. Quando se apaixonam, ele tem uma percepção que é isto que vai acontecer“, começa por explicar à TV Guia.

Já sobre a CMTV, o jornalista admite que “é um canal onde passa todo o tipo de notícias e muito próximo das pessoas.” “Por isso, uma coisa é trabalhar num canal generalista. Na TVI, na SIC, na RTP, como já trabalhei em todos. Outra coisa é trabalhar no sítio mais abrangente, mais generalista de Portugal, desde o início. Trabalhei nas redacções todas de televisão e as redacções todas começam o trabalho a ler o Correio da Manhã. Porquê? Porque já lá tem todas as notícias generalistas. Já lá estão os como, os porquês, os quando, os quem. Os protagonistas. As coisas que interessam às pessoas.” Assim, a CMTV, segundo o próprio tem um efeito de criar emoção nas pessoas. “Tudo o que fazemos na CMTV e no jornal é de tal forma capilarizante pelo País inteiro que todas as pessoas vão estar interessadas nestas notícias. Porque estas notícias têm emoção. E essa emoção é algo muito interessante. O mundo está cheio de preconceitos, frases feitas, diz-que-diz. Da minha responsabilidade, a CMTV não vai pedir desculpa por ter audiências

A vida pessoal

No meio de tanto trabalho, Francisco vai-se organizando também na vida pessoal. “Sempre trabalhei muito, toda a minha vida. Costumo dizer que sou a pessoa mais ocupada e a mais disponível de toda a redacção. É uma questão de organização e de foco. Eu, quando estou a trabalhar, estou a trabalhar. Não estou a pensar em ir fumar, porque não fumo; ir beber um café, porque bebo muito poucos; ou ir à casa de banho. Eu não sou assim: sou focado. Agora, também já passei por experiências, na minha vida, que não quero repetir, onde dei a minha vida pelas organizações. Nunca mais vou fazer isso!