‘O Processo’, o filme que acompanhou Dilma, estreia no IndieLisboa

0
290

São duas horas de filmagens, votações e sessões que acompanham, de forma próxima, o mediático processo que levou ao afastamento de Dilma dos comandos do Senado brasileiro. Recebido com aplauso em Berlim, o longa duração de Maria Augusta Ramos, retrata a estratégia construída pela equipa de defesa da ex chefe de estado brasileira, acusada de maquinar as contas públicas. Sem narração ou entrevistas, o filme assume-se como um documento histórico que percorre as conversas de bastidores, os encontros políticos e a polarização da opinião pública em torno da destituição da primeira mulher presidente do Brasil.

A estreia de O Processo acontecerá no IndieLisboa que, entre o final de Abril e início de Maio, e contará com a presença da realizadora que, a par de apresentar o filme, participará numa conversa em torno das relações entre o cinema, a política e a liberdade. Sob o tema, Por um cinema que dá mais força à Liberdade, João Salaviza, Marco Martins, Maria Augusta Ramos, Rüdiger Suchsland falarão sobre as diferentes formas de representação da política no cinema e como este pode levantar questões e abordar injustiças sociais e turbulências políticas. Dia 3 Maio, pelas 17h00, na Biblioteca Palácio Galveias.

Promovendo um olhar crítico e a ligação do cinema com o mundo envolvente, a selecção de filmes do festival lisboeta integrará outros títulos que tocam os arquivos históricos da política mundial. Da análise das responsabilidade históricas da Roménia no Holocausto de Tara Moarta (de Radu Jude), à história, ainda não pacificada, das perseguições nazis de Four Parts of a Folding Screen (de Anthea Kennedy e Ian Wiblin), passando pela análise das técnicas propagandistas do cinema do Terceiro Reich de Hitler’s Hollywood(deRüdiger Suchsland).Na ponte com a actualidade, o retrato da única prisão aberta de França de La Liberté (de Guillaume Massart)e as histórias da sempre polémica Area 51, na curta homónima de Annabelle Amoros, e da revolta da prisão de Attica em 1971, de Evidence of the Evidence(Alexander Johnston). Destaque ainda para o documentário, Il Risoluto(de Giovanni Donfrancesco) uma das obras no concurso internacional de longas metragens do evento, que filma um testemunho na primeira pessoa sobre a acção da Decima MAS, uma das mais violentas milícias do fascismo italiano.

O Processo

1 de Maio, 18h30, Cinema São Jorge, Sala Manoel de Oliveira

6 de Maio, 19h00, Cinema São Jorge, Sala Manoel de Oliveira

Tara Moarta

1 de Maio, 17h00, Cinema São Jorge, Sala 3

6 de Maio, 18h00, Cinema Ideal

Four Parts of a Folding Screen

27 de Abril, 18h45, Cinema São Jorge, Sala 3

6 de Maio, 17h00, Cinema São Jorge, Sala 3

Hitler’s Hollywood

5 de Maio, 15h30, Cinemateca Portuguesa, Félix Ribeiro

La Liberté 

27 de Abril, 18h30, Pequeno Auditório da Culturgest

6 de Maio, 14h30, Pequeno Auditório da Culturgest

Area 51, Nevada, USA

3 de Maio,21h45, Pequeno Auditório da Culturgest

5 de Maio, 16h30, Pequeno Auditório da Culturgest

Evidence of the Evidence

3 de Maio,21h45, Pequeno Auditório da Culturgest

5 de Maio, 16h30, Pequeno Auditório da Culturgest

Il Risoluto

28 de Abril,18h45, Pequeno Auditório da Culturgest

1 de Maio, 14h30, Pequeno Auditório da Culturgest