‘Linha Aberta’ envolta numa nova polémica

Mais uma polémica, envolta de um caso retratado no programa 'Linha Aberta'. Haverá, pois, uma queixa na ERC e o processo ameaça contornos mais agressivos.

0
1659

O programa ‘Linha Aberta‘ terá emitido uma reportagem que dava conta de um problema de maus cheiros em Alcanena. A emissão sucedeu-se no passado dia 5 de dezembro de 2017,

Na reunião camarária de 18 de dezembro, a presidente da Câmara, Fernanda Asseiceira, anunciou que o município ia avançar com uma queixa crime à Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), por parcialidade jornalística.

A reportagem, com imagens da ETAR e dos estores das casas negros pela ação da poluição atmosférica, reuniu também a participação de elementos do Movimento pela Saúde de Alcanena (MSA) e da CDU. Na altura, foi ainda ouvido o vereador dos Cidadãos por Alcanena, Gabriel Feitor, sobre a questão.

A emissão passou, de seguida, para o estúdio da SIC, onde Hernâni de Carvalho confrontou a ex-deputada da CDU e engenheira química Suzel Frazão, sobre a aposta de sulfuretos na indústria de curtumes e o seu impacto na qualidade de vida das pessoas. A engenheira admitiu que a população está desiludida pelo papel passivo dos investimentos que têm sido feitos. Mesmo com justificações, Hernâni de Carvalho referiu que foi contactado pelo município e que este enviou um “relatório extensivo das iniciativas que tem tomado”.

A resposta da Presidente da Câmara.

Segundo Fernanda Asseiceira, não está em causa o tema da reportagem. Mas o tratamento jornalístico da mesma. “No nosso ponto de vista não foram respeitadas questões básicas, nomeadamente a nível legal, não foi respeitado o direito do contraditório à Câmara, tendo em conta que foi visada”, afirmou.

Fernanda Asseiceira também não gostou da jornalista Ana Paula Félix ter mencionado possíveis represálias por parte da Câmara, contra argumentado: “Em oito anos, nunca exerci represálias sobre ninguém”, defendeu.

Foi um programa que foi um mau serviço público, que pôs em causa todo o concelho, todo um trabalho de valorização de todo o território”, apostou.  Desta a SIC, “passou uma imagem como se… fujam, afastem-se (…) eu fiquei chocadíssima quando vi o programa, não queria acreditar”. Deste modo, “na defesa da liberdade de expressão mas também pelo garante da boa informação e do contraditório que deve ter lugar, está preparada uma queixa à ERC”.

De frisar que as declarações aqui exibidas foram retiradas do site ‘Mediotejo’, a 11 de janeiro de 2018 às 14h48.